Reflexões

"Instruí-vos, porque precisamos da vossa inteligência. Agitai-vos, porque precisamos do vosso entusiasmo.

Organizai-vos, porque carecemos de toda a vossa força".
(Palavra de ordem da revista L'Ordine Nuovo, que teve Gramsci entre seus fundadores)

______________________________________________________________

novembro 14, 2010

Ato repudia ação de grupos neonazistas no Rio Grande do Sul

A iniciativa da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa gaúcha foi motivada por episódios recentes onde a 1ª Delegacia de Polícia apreendeu materiais e vídeos de conteúdo neonazista. Um desses vídeos apreendidos na operação da 1ª DP causou ainda mais preocupação, pois nele, o grupo neonazista veicula imagens do senador Paulo Paim (PT), insinuando alto teor de preconceito racial e de incitação à violência contra os negros.
A Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul – CCDH, presidida pelo deputado Dionilso Marcon (PT) promoveu hoje (12) um ato público em repúdio a toda manifestação de preconceito e discriminação. A iniciativa foi motivada por episódios recentes onde a 1ª Delegacia de Polícia apreendeu materiais e vídeos de conteúdo neonazista. Um desses vídeos apreendidos na operação da 1ª DP causou ainda mais preocupação, pois nele, o grupo neonazista veicula imagens do senador Paulo Paim, insinuando alto teor de preconceito racial e de incitação à violência contra os negros.

O delegado Paulo Cezar Jardim, titular da 1ª DP da Capital, fez um longo e importante retrospecto da atuação de grupos nazistas no Rio Grande do Sul, demonstrando que, em 1937, havia oficialmente no Brasil o Partido Nazista, substituído posteriormente pelo Partido Integralista, sendo que ambos pregavam a superioridade da raça ariana . O delegado também destacou que esses grupos atualmente operam em forma de célula, são organizados, violentos, e atuam ideologicamente, usando símbolos numéricos em camisetas (88, 18,14) como forma de saudar Adolf Hitler.

O senador Paulo Paim rechaçou a possibilidade de que esses grupos de criminosos ganhem força no Rio Grande do Sul, e destacou o papel pioneiro dos gaúchos na luta contra o racismo e a discriminação racial. Segundo ele, as questões de raça começaram a ganhar visibilidade política no Rio Grande do Sul, em 1935, quando foi eleito o primeiro deputado negro da história do Parlamento gaúcho, Carlos Santos. Também destacou outros políticos negros que fizeram história. Ele citou o primeiro governador negro do Brasil, Alceu Collares, e lembrou que foram os gaúchos que o elegeram o primeiro deputado federal negro e o primeiro senador negro. Para Paim, esses grupos neonazistas devem ser tratados como criminosos. Ele defendeu a criação junto à Polícia Federal de um departamento específico para combater o preconceito e a discriminação racial e de minorias.

O ato alertou a sociedade para ficar atenta ao crescimento de grupos neonazistas e do fortalecimento de partidos de extrema-direita, principalmente em países de primeiro mundo. Esses grupos pregam a xenofobia, a discriminação racial entre os povos e o preconceito sexual. Tanto no Brasil quanto na Argentina, grupos neonazistas agem infiltrados em torcidas organizadas de clubes de futebol com o objetivo de atrair jovens para a causa neonazista.

O deputado Marcon parabenizou o trabalho da Policia Civil do Rio Grande do Sul e a atuação permanente do delegado Paulo Cezar Jardim, titular da 1ª DP da Capital, no combate à discriminação racial e a ações criminosas contra as minorias. E destacou o objetivo da reunião: um alerta para a sociedade civil e o poder público ficarem atentos, denunciando, fiscalizando e agindo contra manifestações de intolerância de qualquer natureza.

O ato contou com a presença de lideranças políticas, do judiciário, do Ministério Público e de dezenas de entidades em defesa dos direitos humanos e contra a discriminação racial: deputado estadual eleito pelo PT – Edegar Pretto; Delegado Wilson Müller; Presidente da ASDEP/RS; Quilombo Areial da Baronesa – Gessi Fontoura; Asseps – Gonzalo Garcia; Ponto de Cultura Campo da Tuca – Antonio Matos; Instituto de Pesquisa e Estatística da População Afro – Juarez; Sinsociólogos – César Schultz; Sintec/RS – Carlos Paulleto; Sindicato dos Técnicos Agrícolas – Carlos Coelho; GT Angola Janga – Flávio Teixeira; Federação Israelita do RS – Mário Cardoni; GTB/RS – Eder Pereira; Movimento Nacional de Direitos Humanos – Beatriz Lang; Representação do Povo Charrua – Sérgio Varela; Caminho da Águas – José Leonel de Carvalho; Comitê de Mulheres do PT – Marta de Barros; Frente Parlamentar Quilombola – Pernambuco; CEUCAB/RS – Clóvis de Souza; CTB/RS – Guiomar Vidor; CGTB/RS – Eder Pereira; Secretaria de Direitos Humanos – Mário Azambuja OAB/RS – Paula Ribas; MPE – Comissão de Direitos Humanos – Francesco Conti; MNU – Celso Woithecowiski; FTN/RS – Enio Santos; Coop. Afro-Brasileira de Geração de Renda – Luis Pires; Federação dos Metalúrgicos do RS – Milton Viário; ABRACO – Josué Franco; Nuances – Célio Golin; Igualdade – Marcele Malta.

Foto: Marco Couto

Nenhum comentário:

Ilha das flores