Reflexões

"Instruí-vos, porque precisamos da vossa inteligência. Agitai-vos, porque precisamos do vosso entusiasmo.

Organizai-vos, porque carecemos de toda a vossa força".
(Palavra de ordem da revista L'Ordine Nuovo, que teve Gramsci entre seus fundadores)

______________________________________________________________

setembro 01, 2012

Vídeo do debate "O pensamento de J.C. Mariátegui e o Movimento Comunista"

Assista no link abaixo o interessante debate intitulado "O pensamento de J.C. Mariátegui e o Movimento Comunista", com Leila Escorsim (UFRJ) e Marcos Del Roio (Unesp Marília), realizado na Livraria Expressão Popular, no dia 11 de junho de 2012.



Apesar de ser o autor da primeira análise concreta da realidade econômico-social da América Latina baseada no marxismo, José Carlos Mariátegui é pouco conhecido entre os marxistas brasileiros. O debate discorreu sobre os principais aspectos da vida e da contribuição teórica e prática do fundador do Partido Socialista do Peru e da Confederação Geral dos Trabalhadores do Peru, e um dos mais importantes pensadores do marxismo revolucionário latino-americano do século 20.

José Carlos Mariátegui nasceu em Moquega, Peru, em 14/6/1894. De família pobre, autodidata, torna-se “artífice de sua própria grandeza” e se abre “às questões de seu tempo, primeiro como homem de imprensa, depois diretamente como ator político”. Forçado a deixar o país, vai para a Itália, onde acompanha atentamente o movimento fascista, estuda as suas bases sociais e, ao mesmo tempo, com interesse redobrado e adesão intelectual e ideológica, analisa a formação da esquerda comunista. De volta ao Peru, funda, em 1928, o Partido Socialista do Peru – a ele é atribuída a Secretaria-Geral. Em novembro daquele ano publica 7 ensayos de interpretación de la realidad peruana – a primeira análise concreta de uma realidade econômico-social deste continente baseada no marxismo. Em 1929, funda a Confederação Geral dos Trabalhadores do Peru (CGTP). Morre, em Lima, em 16/4/1930, com 36 anos incompletos. O corpo é velado na casa da Calle Washington, izquierda por grupos de operários. Na tarde do dia seguinte, milhares de trabalhadores, organizados pela CGTP, entoam a Internacional em sua homenagem.



Seu projeto consistiu em trazer o Peru para a modernidade revolucionária do século 20: segundo Mariátegui, seu tempo era o da revolução socialista mundial e sua tarefa, enquanto comunista, era integrar seu país nesse movimento a que atribuía caráter transcendente. Uma tal integração supunha conhecer a particularidade histórica do Peru para, à base desse conhecimento e nas fronteiras peruanas, promovendo o protagonismo autônomo dos trabalhadores, articular o bloco social capaz de realizar a revolução. A revolução peruana, para ele indissociável da revolução latino-americana e mundial, porém, só seria pensável se os seus sujeitos pudessem oferecer uma programática política abrangente, capaz de dar conta não só das dimensões estritamente político-econômicas da sociedade peruana, mas também que cobrisse, ainda, as dimensões da cultura.  
 
in. http://prestesaressurgir.blogspot.com.br/search/label/Mari%C3%A1tegui

Nenhum comentário:

Ilha das flores