Reflexões

"Instruí-vos, porque precisamos da vossa inteligência. Agitai-vos, porque precisamos do vosso entusiasmo.

Organizai-vos, porque carecemos de toda a vossa força".
(Palavra de ordem da revista L'Ordine Nuovo, que teve Gramsci entre seus fundadores)

______________________________________________________________

maio 11, 2008

"O PT parece querer devorar aliado", diz Aldo

RANIER BRAGON
da Folha de S.Paulo, em Brasília

Principal obstáculo à intenção da ministra petista Marta Suplicy (Turismo) de atrair para a sua coligação o chamado bloquinho (PSB, PC do B e PDT), o deputado federal e ex-presidente da Câmara Aldo Rebelo (PC do B-SP), 52, disse que também foi convidado pelo PT para ser vice de Marta, mas que recusou. Ele afirmou que manterá sua candidatura até o fim. "O PT parece querer devorar os aliados."

FOLHA - O sr. vai abrir mão da candidatura?
ALDO REBELO - Não creio que seja possível porque o bloco construiu há alguns meses a sua candidatura a partir do entendimento entre as direções dos partidos. Na época, liguei para a ex-prefeita Marta Suplicy. Ela disse que estava em entendimento com o PMDB, que o PMDB indicaria o vice e que, embora ela desejasse a aliança com o bloco, estava priorizando essa aliança com o PMDB.

FOLHA - Como o sr. avalia essa recente investida do PT?
ALDO - Depois de fracassar na tentativa de aliança com o PMDB e de ver frustrada a aliança com o PR, procurar desarticular o bloco é uma atitude muito ruim, errada. O PT parece sofrer da síndrome de Cronos, o deus da mitologia grega que achava que seria destronado por um dos filhos, então devorava todos os filhos que nasciam. O PT parece querer devorar os aliados. Temos uma aliança em torno da sustentação do governo Lula, nos sentimos confortáveis, mas temos um bloco e um projeto para a cidade de São Paulo. O melhor que o PT faria seria respeitar o bloco que preteriu na política de alianças para a cidade.

FOLHA - O sr. também foi convidado nesta semana para ser vice da Marta?
ALDO - Fui de fato procurado por emissários das direções do PT, da direção nacional, da municipal e da regional. Disse que respeitava a candidatura da Marta, mas que nós tínhamos o nosso próprio plano, e por essa razão eu declinava de qualquer oferta de participar da chapa com a prefeita, e que mesmo que os partidos do bloco viessem a resolver uma outra situação, eu declinava de participar direta ou indiretamente de compromisso nesse sentido.

FOLHA - O PT lhe ofereceu o Ministério da Previdência?
ALDO - Não. E, nessas circunstâncias, não tenho as mínimas condições de aceitar qualquer indicação para integrar o ministério do presidente Lula.

Um comentário:

wilson rezende disse...

Que grande decepção foi o PT Vanderlei, tenha uma ótima semana, um abraço na Vilma, nas crianças e a todos.

Ilha das flores