Reflexões

"Instruí-vos, porque precisamos da vossa inteligência. Agitai-vos, porque precisamos do vosso entusiasmo.

Organizai-vos, porque carecemos de toda a vossa força".
(Palavra de ordem da revista L'Ordine Nuovo, que teve Gramsci entre seus fundadores)

______________________________________________________________

janeiro 05, 2009

Uma breve resposta à desinformação sionista


por Khalid Amayreh

Crianças mortas na morgue de Gaza. Os operacionais do hasbara [1] sionista têm estado a afirmar que a actual carnificina genocida em Gaza é uma "guerra contra o Hamas" e que esta foi necessária só pelos disparos de rockets palestinos sobre Israel.

Isto é uma grande mentira, como se verá a seguir:

"O Hamas disse reiteradamente que estava desejoso e pronto para cessar "todo" o disparo de projécteis a partir de Gaza desde que Israel levantasse o seu bloqueio mortífero. E Israel reiteradamente disse "Não".

Israel tem estado a dizer ad nauseam que terminou a sua ocupação de Gaza. Bem, por que então Israel retém o seu controle dos céus de Gaza, das costas de Gaza, do mar de Gaza, dos lugares de cruzamento da fronteira de Gaza (mesmo com o Egipto)? Por que Israel retém o controle da vida de Gaza?

Portanto, a questão dos disparos de "rockets" sobre Israel (trata-se de projécteis feitos artesanalmente que fazem mais ruído do que dano) deveria ser encarada em grande medida como algo para desviar a atenção.

Efectivamente, Israel deu aos palestinos em Gaza uma de duas escolhas: morrerem de fome devido ao bloqueio o serem exterminados pela máquina de guerra israelense

Na verdade, os chamados "rockets" não são senão um protesto desesperado por justiça, pelo levantamento do bloqueio mortífero. Gaza foi simplesmente reduzida a uma Auschwitz dos dias de hoje. A única diferença é que judeus estão agora a desempenhar o papel das SS.

O Hamas cumpriu meticulosamente um cessar fogo de seis meses, apesar da persistência do bloqueio estilo nazi que se assemelha muito ao cerco do Gueto de Varsóvia em 1942-43. Contudo, em 13 de Novembro Israel executou uma incursão dentro de Gaza, matando seis pessoas.

Indo directamente ao principal, Israel matou 49 palestinos durante o cessar fogo. Nem um único israelense foi morto nesse período.

Além disso, centenas de palestinos pereceram porque Israel não lhes permitia que tivessem acesso a cuidados médicos ou remédios. Vi muitos palestinos morrerem na agonia porque a "luz das nações" não lhes permitia chegarem ao hospital uns poucos blocos mais adiante. Em suma, estamos a falar acerca de um estado judeu-nazi. Estou a dizer isto porque quando judeus pensam, comportam-se e actuam como nazis, eles tornam-se nazis. Devemos chamar a pá de pá, especialmente quando acontece ela estar nas mãos dos nossos coveiros.

Portanto, é uma grande mentira chamar a esta guerra uma guerra contra o Hamas. Isto é uma guerra de extermínio estilo nazi contra o povo da Palestina.

Se a guerra fosse contra o Hamas, como os criminosos de guerra de Tel Aviv continuam a afirmar, Israel não teria alvejado praças de mercado, farmácias, edifícios de faculdades, lares privados, mesquitas, instituições culturais, estradas, negócios, etc.

Só um estado com uma mentalidade hitleriana alvejaria uma sociedade inteira e a seguir afirma que está a combater o Hamas! É simplesmente uma enorme mentira.

Assim, Israel está simplesmente a executar um genocídio real ... e aliás um genocídio indiscriminado.

Hoje, mesmo um eminente rabi judeu utilizou o termo "genocídio" para descrever o que Israel está a fazer em Gaza.

Ver também artigo de Amira Hass no jornal Haaretz: "Israel's war is not against Hamas, it's against all the Palestinians."

29/Dezembro/2008
[1] Hasbara: palavra hebraica que significa literalmente "explicação". O termo é utilizado pelo Estado de Israel e por grupos independentes para descrever os esforços destinados a explicar as políticas do governo de Israel e promovê-lo no mundo todo.

Um comentário:

Anônimo disse...

Olá
Mue Nome é Thiago, gostaria de parabeniza-lo pelo texto, bem como corroborar tudo oque foi escrito com minha opinão, sou totalmente contra esse novo modelo de "revolução sionista", que constantemente está a subjulgar as nações ( oque é proibido na torá). O sionismo esta a usar (creio eu) o judaismo como massa de manobra em interesses proprios que não condizem aos interesses judaicos, são interesses totalmente materialistas e laicos.

Ilha das flores